Imortais refletidos no espelho do teto



Eu te amo enquanto os nossos corpos desfilam nus pelo quarto à meia-luz, nessa atmosfera densa que espalha expectativas no ar, nos fazendo respirar paixão através dos olhares que trocamos, com promessas que em breve serão cumpridas.
O amor que sinto por você nesse instante é capaz de mover montanhas e chacoalhar prédios com o mesmo furor, mas delicado como uma pétala de outono ao sabor do vento frio no final de tarde, transpondo dificuldades para realizar desejos instalados em corações frágeis, preparados exatamente para tal propósito.
Querer desse modo requer método. Os passos que damos ao encontro um do outro são lentos, mas, como na superfície lunar sem atmosfera, nos conduzem rapidamente aos braços pelos quais ansiamos. A liberdade tem um jeito estranho de se manifestar, atando-nos fortemente, movendo os nossos corpos em um ritmo alucinante e indescritível!
Os seus cabelos caindo em cachos sobre os olhos em câmera lenta, o brilho no rosto contrastando com o fosco dos olhos distantes do mundo real, nesse exato segundo a beleza ideal para um homem em êxtase transcende a poesia inevitável de viver!
Esse prazer recíproco acelera o meu coração e é por isso que amo você ainda mais. É preciso mostrar com ações esse amor, cada palmo do seu corpo macio explorado avidamente, sem pudores ou resistência; lençóis amarfanhados em clima tórrido, sensações à flor da pele determinando pensamentos de eternidade.



O amor reflete imortais no espelho do teto, inebria com o aroma de flores e sabores ardentes do roçar de pele com pele. Essa é a declaração incontestável, tatuada nos corpos em manchas roxas e marcas avermelhadas, suspiros de desespero no caminho à linha de chegada, batimentos incontáveis e sussurros deliciados, sem hora marcada para amainar, o instinto tomando conta, alijando a razão para realizar apenas o que queremos, além do que precisamos, surpresas que ficam para depois nos corações e nos pensamentos, para sorrir e relembrar, e querer mais e pedir, e receber e desfrutar. É assim que é amar você. E poder declarar sem necessariamente dizer, apenas realizar, possuir e desenvolver o fruto inviolável que persistirá através dos séculos e além.
Eu amo você para além das palavras, dispensando qualquer compreensão, imiscuindo por todos os poros a energia divina que clareia e enobrece, enaltecendo o sentimento e transformando-o em lenda. E lendas são imortais.



Marcelo Gomes Melo

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento