Vírus do amor?



         
            Há um vírus se espalhando pelo ar. Ele surge de tempos em tempos, quando o desespero acredita que está instalado e funcionando a todo vapor, e vem para impactar os viventes com boa vontade e intenções que valham a pena transformar em realidade.
          Esse vírus, como o orvalho, umedece os jardins e ativa o perfume das flores para que os transeuntes experimentem o prazer através do odor e desarmem os seus corações protegidos por uma armadura de aço, prontos para evitar os ferimentos inerentes aos relacionamentos amorosos.
          Mesmo que os cientistas tentem entender, explicar e neutralizar, que os políticos tentem dominar e criar leis para taxar e os terroristas busquem destruir com ações venenosas e indignas, é impossível. Esqueça anticorpos que possam barra-lo, remédios potentes para contê-lo, a função dele se cumprirá com raríssimas exceções, que são os descrentes do poder da vida e sua conservação maravilhosa citados acima.
          Essa sociedade fria, maldosa e cruel reacende-se como vaga-lumes  em diversos pontos, iluminando a escuridão de sua existência nociva, demonstrando a ação benéfica dos que foram inevitavelmente atingidos e contaminados pelo inacreditável e eficiente vírus do amor!


 
Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

Jeito blasé           Um dia desses eu te encontro, cara a cara, alma dentro de alma, frente a frente, bem rente... Te olho no ...