Caminhos que o próprio prazer desconhece



       Você que me olha assim desmilinguida, está querendo me beijar, que eu sei. Dissimulada faz caras e bocas, sorri estilo Mona Lisa só para me deixar em dúvida... Então, do nada dá uma entrada. Não dessas indiscutíveis, causa mais confusão do que certeza, mas mantém a minha chama acesa.
          Imaginar coisas com você e em você virou rotina nessa mente distorcida pela paixão embriagada, pelos aromas psicotrópicos do desejo que aceleram o coração e fazem perder o rumo, destruindo noções e misturando emoções.
          Eu sei que faz parte do rol de acessórios que uma mulher tem para seduzir e usa constantemente, sem piedade, mas, lembre-se de que eu sou de pedra! Isso significa que você encanta até os elementos sólidos do universo!
          Dito isso, querida senhora, abandone o jogo e entregue-se completamente, confesse audivelmente os seus desejos mais recônditos, coloque em palavras o que os seus olhos fervorosamente demonstram... Permita que o seu belo corpo receba as sensações mais maravilhosas do mundo sem restrições!
          A sua alma está pronta para flutuar sobre a minha, sob a minha enquanto nossos corpos enveredam pelos caminhos que o próprio prazer desconhece. Venha adquirir o seu prêmio, dona da vida! Venha premiar o meu desejo irrestrito pelo seu sabor!



Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

Caminhos que o próprio prazer desconhece         Você que me olha assim desmilinguida, está querendo me beijar, que eu sei. Dissimu...

Expandindo o pensamento