Fé, não sapiência



A água, o sangue, a lama do mangue
A lava do vulcão, o gol da seleção
A correnteza do rio, o calor, o frio
Os dias de loucura, as noites de reflexão
O que de você será, o que eles todos serão
Como vivenciar sem se envolver por completo
Como experimentar sem viciar-se de afeto
Os rumores, os ditos, os sussurros, os gritos
As almas em reunião, as garças e o gavião
O poder de quem observa, o gestual de quem preserva
As minúcias únicas de cada homem
Das mulheres, dos lobisomens
O soro da vida eterna, o ouro da fé materna
O crime, o castigo, o que escondo, o que digo
As pazes subentendidas, as luzes mal-entendidas
Isso tudo é fé, da cabeça ao pé
Não sapiência



Marcelo Gomes Melo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento