Entrevista com um condenado interestelar



- Eu mato porque está vivo, porque se estivesse morto apenas enterraria.
- Essa é a sua explicação para ceifar vidas?
- Esse é o mantra que, em caso de recepção positiva, se tornará uma verdade universal, justificando a eliminação dos contrários.
- Esse mantra foi criado por você mesmo?
- Não, eu tenho um treinamento especial para executar o que a minha organização determina como vital para a nossa ascensão ao poder. O mantra vem deles, eu não possuo esses talentos. O meu corpo e a minha mente pertencem ao partido.
 - E a alma?
- Alma? Não cremos em alma, somos frutos da simples divisão de células. É irrevogável, inegável, impossível de conter.
- Não há crenças, justiça?
- A única crença é no todo comandado por uns poucos. Justiça é tudo aquilo que nos favorece.
- Em caso de prisão pela parte inimiga, quais os procedimentos?
- Negar. Infiltrar os nossos mantras. Negar mais. Acusar. Negar vitimizando. Tentar correr. Destruir... Por fim, como última possibilidade, se autodestruir. Antes que enviem outros para nos destruir.
- A eficácia desse método é garantida?
- Para quem comanda, sim. Para quem sofre a lavagem cerebral, tanto faz. Para quem tenta mudar de lado... Sofrimento eterno pelo que pode acontecer.
- A luta é válida?
- A luta é a única forma de prazer. A razão para existir. Quem não luta é inútil. Quem luta é dispensável, uma ferramenta para alcançar um fim.
- E o que se ganha com isso, algum tipo de glória?
- Não existe glória individual. Não existe glória para acessórios. O todo é a glória, exercida pelos poucos que comandam o todo.
- Amor?
- Ouro de tolos. A emoção mais útil é a raiva. Fomente o ódio por qualquer coisa, inclusive o que desconhece e se tornará uma arma mais eficaz. Amor é fraqueza para justificar a existência do ódio e sua utilização por parte dos inimigos.
- A causa vale o esforço.
- O esforço é o que faz merecer a causa. Sem esforço pela causa você está morto.
- Qual é a causa?
- Ser contrário a qualquer coisa. O favorecimento da causa se reflete nos benefícios dos poucos que atuam no comando.
- Como funciona esse comando?
- Como uma pirâmide. Na base os fanáticos esfomeados; na faixa acima, os controladores, vigias; logo depois os responsáveis pela mídia e garantia de fixação da mensagem, lavagem cerebral. Os líderes dos matadores; e na ponta da pirâmide os responsáveis pelo funcionamento.



- Como chegam ao comando?
- Há requisitos desconhecidos. Obscuros. Os conhecidos são: crueldade, frieza, determinação para a maldade, egocentrismo...
- Obrigado pela entrevista. Ah, uma última pergunta. Acredita em vida após a morte?
- Só se for no inferno. Com licença, a cadeira elétrica me aguarda.



Marcelo Gomes Melo
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento