A dança dos enamorados



          Essa é a dança dos enamorados, na qual todos os envolvidos lançam mão das mais diversificadas armas da paixão, sensualizando da maneira mais eficiente dentro das próprias características com o intuito de encantar e seduzir a potencial parceria.
          A dança dos enamorados envolve um certo ridículo para quem está de fora observando os movimentos muitas vezes desajeitados, mas prontos para participar, largando a vassoura imediatamente e se submetendo aos absurdos da conquista. Não há limites de idade, dinheiro, preparo intelectual... Limite de coisa nenhuma! Basta respirar o perfume do amor, se deixar inspirar, enlevar-se e, tresloucados transmitir vibrações de prazer que, devidamente captados serão a cola que une os corações e as mentes.
          O ritmo da dança dos enamorados varia conforme as afinidades, é atemporal e funciona sempre. Está no ar inebriando, influenciando nas ações e reações, permanecendo pelo tempo que os iniciados permitam, espalhando sensações de alegria, felicidade e prazer. As doses cavalares causam atitudes devastadoras, perigosas, porque tudo em excesso é mortal, e dançar permanentemente pode fragilizar ao ponto de partir os dançarinos. Corações partidos são efeitos colaterais inevitáveis, e podem descambar para os fins mais desesperadores.
          A recomendação aos dançarinos é para que curtam as loucuras, as delícias até lamber os dedos, porque o momento passado não retorna, então é melhor relembrar o que foi vivido a lamentar o que foi perdido por medo, covardia ou falta de sensibilidade para perceber o que pode ser inesquecível.
          Os enamorados mais experientes procuram mudar os ritmos e o roteiro de suas danças anteriores que terminaram por cansaço, ou abruptamente, sem nenhum sinal de que aconteceria. Mudar os passos não garante maior eficiência, mas novas emoções com certeza, o que não significa delícias garantidas, e pode terminar em decepções e tristeza.



            A fórmula de qualquer coisa no universo não garante apenas delícias; com a luz vem a escuridão, com a alegria caminha a tristeza, com o calor vem o frio enregelante. Manejar bem as emoções para adquirir mais uns do que outros cabe ao usuário, e o que vai definir as suas vitórias são as próprias escolhas em conjunto com o improvável, o maravilhoso e o inominável.
          A dança dos enamorados continua, os dançarinos do amor ajustam os passos, movimentam os corpos, retiram o biscoito da sorte, que está lançada. O melhor sempre estará por vir!





Marcelo Gomes Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento