A verdade a respeito dos corações inquietos



Não acredite em ninguém, não creia em nada. Você está sozinho ao nascer e estará sozinho ao morrer. Não existem amigos, apenas corruptos desalmados tentando se beneficiar de algo que você tenha, ou usá-lo como degrau para subir em uma escala invisível que sacrificaria os bondosos.
Enxergue a todos por trás do que dizem, vá além do que pensam, esteja um passo à frente dos covardes sorridentes dispostos a humilhar-se para conseguir qualquer coisa; venderão os que chamam de amigos e empenharão os que chamam parentes.
Encare a sua vida como um balé à beira do abismo com os olhos vendados. Ouça o que dizem, se apegue aos detalhes, esteja com as defesas preparadas e ofereça sempre um ataque letal, não faça prisioneiros, não demonstre piedade, jamais sorria de volta. É perigoso apegar-se a qualquer pessoa. Qualquer um é um traidor em potencial.
Se quer viver mais, afaste-se das tentações, caminhe para longe e mantenha à distância de uma espada afiada, quem quer que seja. Caso tentem se aproximar mais do que isso, decapite-os sem outro motivo; sem qualquer motivo.
O mundo é cruel e insensível, povoado por canalhas hipócritas que ousam falar em amor sem o sentir, em humildade sem a conhecer, em paixão sem o compromisso. São filhos do dinheiro e seus escravos. Não confie em ninguém. Observe os seus gestos dissimulados, como ficam desconfortáveis quando pegos em flagrante, e satisfeitos com eles mesmos na proteção de seus quartos, no meio do silêncio culpado e seus pecados que se multiplicam.
Não existe bondade! Os bons já foram sacrificados, e os que não morreram é porque aprenderam com o sofrimento, e se tornaram zumbis ou instrumentos mortais. A chuva não lavará os pecados deles, o sol não iluminará os caminhos.



Acredite em si mesmo só até certo ponto. Como saberá se já não foi copiado pelas forças vigentes, o mal que acaricia e promete proteção, a liberdade falsa que habita uma mente vazia.
Destrua, se tiver a chance, antes que seja destruído. Amordace os pensamentos em seu cérebro, utilize o poder dos seus braços, golpeie incansavelmente, jamais perdoe!
A sua existência atual independe desses escrotos degenerados que fingem o tempo todo, cérebros rasteiros à procura de sangue para adquirir confiança, vendedores de mentiras indignos de viver, mas que vivem; nascem, crescem e morrem como ervas daninhas, agora e sempre.
Essa é a verdade sobre os seres humanos e a sua capacidade de contaminar a tudo o que tocam. Isso é o suficiente para que se declare eremita? É razão para que odeie sem conhecer e não deseje conhecer se estiverem vivos?
Acredite, saber é sofrer, conhecer é desacreditar. Não há amor do lado de lá onde os seus olhos confrontam. Tudo é sempre pior do que se imagina, por isso a ignorância é conforto para os corações inquietos.


 
Marcelo Gomes Melo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento