Não pare até que esteja satisfeita!



Estou dominado pelas boas vibrações da presença celestial que ela traz consigo, e isso me faz muito bem. De vez em sempre me desconcentra da correria imposta pela existência difícil para militar em um ambiente de paz, uma cultura de sensação de liberdade que me permite sentir o sorriso escorregando do meu rosto duro e enfeitando as reações dela.
Durante o tempo de vida a humanidade convive com essa sensação diversas vezes, não importando o patamar social em que se encontram ou o local em que habitam. As boas vibrações funcionam como um sintonizador para o estado de espírito e cabe a cada um ajustar o seu, ou correrá o risco de  passar pela estadia entre os vivos sentindo muito menos.
Ela é uma garota muito especial, com seus olhares perversos e movimentos perfeitos, felinos de ser; ativa a minha loucura particular de transforma-la como desejo, entregando-se de bandeja, fruta madura, maleável, adaptável às mãos que a modelam e à boca que a devora.
Não há mais luzes além das luzes naturais, agora. A champanhe é uma gota que chia e molha lábios ressecados. Não pare! Não pare até que esteja satisfeita, o verso da canção se repete e a brisa chacoalha o tecido suave que mal cobre a sua pele.
As vibrações da natureza acalentam o planeta; as vibrações da paixão acalentam os corpos humanos atormentados pela carência. Utilize-se de suas valências físicas aliadas às intelectuais para acirrar a batalha pelo prazer. Lance mão de todas as armas porque todas são válidas no amor e na guerra.
Agora reconheço que não tenho controle sobre o meu sorriso, e ele escapa sempre que as boas vibrações me alcançam e cometem a ação criminosa de me tranquilizar para abraçar com força total todas as possibilidades.



Marcelo Gomes Melo


Para ler e refletir

A lenda do Bom Tejipió           Embaixo do pé de cajá ao anoitecer, com uma lança comprida de ponta fosca triangular, cort...

Expandindo o pensamento