As palavras enigmáticas que só uma mulher diz

 
           O que realmente me interessa está no conteúdo desse vestido sexy, leve, que chacoalha ao sabor do vento cálido em consonância com os seus cabelos revoltos, mas não posso demonstrar, os óculos escuros são para isso.
          Tento passar uma imagem desinteressada e relaxada, não pensar no seu decote desviando o olhar o tempo todo para o desinteressante, em comparação a você, fim de tarde à beira da praia. O dourado dos raios de sol se esvaindo no horizonte se chocam com o verde da água, se transformando rapidamente em azul escuro, e logo, logo, em negro como os seus olhos misteriosos. Imagino que seja uma homenagem espontânea à sua magnificência, e tomo um gole do drinque gelado com aparente desleixo, com intenção de molhar os lábios secos.
          Você cruza as pernas com uma naturalidade extra-sensorial, e o meu coração quase para, mas insisto na pose indiferente. Observo discretamente e o que vejo confirma que o meu disfarce corre bem, pois você parece extremamente distante e desinteressada, como tem que ser.
          Os seus lábios se movem comentando alguma coisa, mas é inútil, não tiro os olhos da maciez suave que separam e se juntam, entremeando a pontinha da língua rosada que me despertam maus pensamentos e calafrios perigosos. O que você disse não foi assimilado em nenhum momento, então dou um sorriso profissional que pode significar qualquer coisa.
          As suas belas mãos brincam com o copo distraidamente, e volto a me concentrar no subir e descer dos seus seios, respiração tranquila, maravilhosa. O seu olhar finalmente pousa na minha figura com alguma seriedade. Você me observa com uma nova atenção comovente, franzindo o cenho como se acabasse de fazer uma descoberta. Sob os óculos escuros o meu olhar enfrenta o seu, covardemente porque você não pode ver o brilho que deles emanam apenas por seu jeito de ser mulher, completa, desejável e despretensiosa.
          Agora já tenho a sua imagem desenhada na retina, e sei que vou relembrar cada movimento seu, cada som emitido por sua voz, mesmo que não me lembre do que foi dito.
          De repente um novo acontecimento, um novo nível, e eu sei que não colaborei com nada para que acontecesse. Você tocou as minhas mãos com as suas mãozinhas quentes e firmes, e agora pude me concentrar nas palavras que você sussurrava com tanto vigor e decisão. Eram realmente palavras dirigidas a mim, e só a mim! Não estava apto para desvendar o bem que fiz para que Deus permitisse tamanha felicidade. Ela apertou as minhas mãos sobre a mesa e falou, sexy até alcançar o universo:
          - Está anoitecendo. Venha, vamos para o meu quarto. Não quero esperar mais.
          Nem eu, senhora, pensei, erguendo o corpo, atrevido. Muito menos eu!



Marcelo Gomes Melo
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento