Aos que nunca foram abençoados com o amor



A quem nunca foi abençoado com o amor, só posso chamar de cego! Alguém por quem os anjos não sentem perdão, não detectam fé, não utilizam a visão periférica, direta ou indireta ou sobrenatural e não pode ser considerado por isso.
Surdos institucionais indispostos a ouvir o chamado, aos gritos, ou sussurrados de um tíquete para o paraíso. Não pode haver benevolência com esses seres desconsiderados, que vagam pelo mundo totens em um trem descarrilado com velocidade assustadora e letal!
A essas pessoas patéticas só resta o desprezo só resta o desprezo e a impaciência complacente, a acusação muda através de um olhar impiedoso por não terem conseguido perceber qualquer centelha de paixão, amor, carinho verdadeiro que os mantenha afastados da rota de colisão com o sofrimento e a dor por toda a eternidade.
Sem a liberdade se deixam enganar pelos flashes notívagos, instigados por motivação etílica e diversas outras maneiras de inebriar o cérebro levando o corpo a se dilacerar completamente. As emoções enganam e carregam ao cemitério dos espíritos sem comiseração que assombram almas perdidas, que se enganam tomando atitudes erradas, confundindo sacrifício com amor, pena com sobriedade, permanecendo insaciados e insaciáveis enquanto se negarem a enxergar o que lhes pertence por direito.
Que os anjos encarregados por liderar essas vítimas insanas do desconhecimento demonstrem alguma piedade, em algum momento, e permitam que os seus segredos se esvaiam pelo ralo, permanecendo desconhecidos por todos os que poderiam julgar e condenar sem nenhum resquício de bondade no coração.



Não desistam, cães miseráveis sem as bênçãos de amor! Continuem a perseguir o autoconhecimento, sejam solidários consigo próprios, não esmoreçam!
O amor está roçando em você, corpo mortal e cruel, basta encontrar o nível correto de sensibilidade para merecer recebe-lo e, através dele, e só dele, encontrar a paz!
 
 
Marcelo Gomes Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento