O caos revisitado




As pessoas honestas estão morrendo. Não cabem mais nesse novo modelo de sociedade, amoral, cujos valores estão sendo destruídos para reger os novos membros, fruto de gerações modificadas, surgidas através de experimentos científicos, neo-religiosos e acidentais.
Esse novo modelo de sociedade acaba com a hierarquia, destrói a família como a conhecemos, retira qualquer tipo de respeito à pessoa humana, coloca todo o poder nas mãos de crianças sem experiência de vida, que aprendem apenas os direitos que têm e ignoram os deveres a cumprir para agir como cidadão de bem, sendo privadas do auxílio paterno, acostumadas a desvalorizar todo o tipo de ensino e cultura, desprezar a informação e viver sob o signo da vaidade e exposição pessoal em troca de fama e dinheiro.
Com o caos instalado, para qualquer lado em que olhemos, o que vemos é corrupção e desrespeito à lei, inclusive por gente que se vê emaranhada no sistema nocivo e só consegue êxito na resolução dos problemas caso se submeta a situações das quais discordam veementemente.
A desconfiança total é o elo inquebrável que une a todos, ao ponto de quem demonstre confiar em alguém ou em algo ser tratado como tolo.
Uma sociedade formada por gente desconfiada, mentirosa, corrupta e hipócrita leva a uma ladeira definitiva rumo à destruição inevitáveis, e tudo só piora. Haverá um tempo em que honestidade, bondade, confiança, amizade e todas as outras qualidades inerentes aos seres humanos serão artigos de museu.

E como os museus estarão todos destruídos...



 

Marcelo Gomes Melo

 

Para ler e refletir

Relato poético de um detetive de homicídios             Desmaiou ao ver aquela compilação de vidas extintas exposta no mesmo loca...

Expandindo o pensamento