Os navios do porto do seu destino



          Não ame os convidados nem repreenda os penetras com tanta veemência, faça de tudo para manter a festa sob controle em um ambiente necessariamente fora de controle, quando os estágios mudam rapidamente fruto do álcool e da necessidade de desenvolvimento de cada indivíduo presente. Desenvolvimento pessoal, emocional, lúdico.
          É um crime não levar em consideração as variações do estado perceptivo dos convidados para calcular a alegria que possam proporcionar durante a ocasião.
          Lembre-se de que o homenageado é você, e acontece o oposto, quando é você quem despende atenção e energia para recepcionar a quem deveria trata-lo, naqueles momentos, como um rei.
          As coisas na vida surgem de maneira peculiar, e cada ser entoa um canto, representa um papel no enorme teatro de viver.
          Os convidados nessa festa nem sempre serão os melhores, embora escolhidos por você, e os penetras, embora poucos, podem trazer surpresas agradáveis em vez de dores de cabeça.
          A festa de existir vale a pena, não duvide disso nem uma vez. Não tente entender a motivação, embora possa questionar o teor do seu papel no teatro.
          Esse é o prato principal, o porto de onde partem os navios que transportam o seu destino.



Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

A lenda do Bom Tejipió           Embaixo do pé de cajá ao anoitecer, com uma lança comprida de ponta fosca triangular, cort...

Expandindo o pensamento