Perseguindo a paixão perfeita






   As lendas em torno da paixão perfeita vão se aperfeiçoando através dos tempos, ganhando contornos cada vez mais preciosos e aumentando o nível de dificuldade para ser encontrada.

          
 Os postulantes a descobridores do amor ideal são desbravadores tenazes, dispostos a entrar corajosamente na sala dos espelhos da vida e correr os riscos de ferir a si mesmos, encontrando apenas ilusão.
          
 Esses crédulos produzem as próprias decepções baseadas em expectativas que se mostram falsas e causam problemas quase insolúveis, deixando sequelas para a continuação do caminho.
          
 Clichês são repetidos, choradeiras explícitas incentivam a aproximação errônea de duplas entristecidas e carentes para apoio recíproco, mas que acabam em tragédia emocional e mágoa irrestrita.
          
 A perseguição à paixão perfeita torna os indivíduos seres amargos, desconfiados e, consequentemente vítimas das próprias ilusões.
          
 Expor as carências ingenuamente nas redes sociais apenas torna a vida patética, porque de boas intenções o inferno está cheio, e traz a conclusão nada óbvia (porque a maioria ignora) de que ninguém tem o controle quando se trata de paixão, de coisas que fazem o coração acelerar e doer ao mesmo tempo, o estômago se contorcer...
           

O amor, um sentimento maravilhoso, muitas vezes apresenta o

 seu lado obscuro, ou se esconde dos corações obscuros, afundados 

nos pântanos emocionais em busca da esperança.




Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

A lenda do Bom Tejipió           Embaixo do pé de cajá ao anoitecer, com uma lança comprida de ponta fosca triangular, cort...

Expandindo o pensamento