Para não ser enganado


Eu beberia um oceano de amores
E ainda assim permaneceria sedento
Eu comeria migalhas por séculos
E alimentaria o meu ego
Expondo a força interior e o poder
Que emanava do meu ser.



Eu navegaria milhas náuticas
Guiado por um farol de estrelas
Esbanjando coragem aos quatro
Cantos do mundo
Perseguindo horizontes
Ardendo de amor nas noites
De frio
Então não mais seria eu
E sim um herói de algum conto
Maravilhoso
Sofrendo e morrendo sem nenhum
Modo de escapar impune
E eu conheço todos os truques
Da paixão.
Não serei enganado
Pela milésima vez!





Marcelo Gomes Melo


 

Para ler e refletir

A lenda do Bom Tejipió           Embaixo do pé de cajá ao anoitecer, com uma lança comprida de ponta fosca triangular, cort...

Expandindo o pensamento