O amor que é de gelo


Como é o amor que é de gelo?
Aquece o núcleo sob a neve, sob o toque solar
E derrete, doce, úmido e... Morno? Pelas pernas
E se espalha pelos pés, alastrando-se pelo chão
À sua volta até voltar a congelar-se, imobilizando
A contragosto, enrijecendo-lhe as plantas e subindo
Por entre os ossos, tomando conta, queimando
Enquanto gela, preservando...


De tempos em tempos estilhaçando sob os pés

Perigoso, permitindo caminhar, sem firmeza, e

A qualquer passo mal dado, o fundo, o fim, a escuridão

Ou firme, endurecido, permitir deslizar

Alcançar distâncias inigualáveis, patinar por regiões

Jamais alcançadas

O amor é de gelo? O amor que é de gelo é eterno?


                Marcelo Gomes Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento