Almoçando granadas; jantando migalhas ensanguentadas.


           Já não vejo qualquer saída

          Olho para os lados e só enxergo paredes se movendo

          Lentamente em minha direção

          Comprimindo os meus sonhos.

          Olho para os lados e vejo

          Tudo igual em todos os cantos

          Água. Turva, sem um farol que nos guie para qualquer lugar.

          Os perigos vêm de baixo

          Um mergulho rumo ao sem fim

          E basta, tudo resolvido.

          Tudo é inútil, não há nada que valha a pena.

          Há que se almoçar granadas

          E jantar migalhas ensanguentadas

          Repartindo a solidão com a morte

          Livrando os vivos do peso enorme de criticar

          Para se sobressair.

          Que uns continuem a morrer

          E outros a viver sem saber!


Marcelo Gomes Melo


Um comentário:

  1. Sabe que as vezes fico assim meia boba depois que leio certas coisas que você escreve?
    Quase como se você tivesse o poder de ler o que penso.
    Me identifico... Mas te acho doido. kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento