“Amor como arma, o livro: teste esse!”

 

O livro centra as ações na trama pouco ortodoxa bolada por um grupo de terroristas tupiniquins, aterrorizados pelas próprias vidas atravancadas, desprovidas de sentido, que os enterra, cada um deles à sua maneira, num poço de escuridão sem fim, destroçando-lhes a autoestima e abalando a fé que tinham no sistema e em Deus.

A ideia desses terroristas é terminar com a suposta dominação feminina ante a uma submissa parcela masculina, levando em conta as próprias péssimas experiências com as mulheres. A forma escolhida por eles foi a contenção da natalidade, assassinando mulheres grávidas e realizando vasectomia forçada, da maneira mais tosca possível, nos homens que se recusassem a tomar parte no plano.

O encarregado de desvendar as mortes, de início misteriosas, atribuídas a um suposto assassino em série, é o detetive Sean Karves, recém-chegado à cidade vindo da Europa para resolver problemas pessoais com a esposa, que o deixara após uma briga para retornar ao Brasil. Karves se envolve por acaso na confusão, mas embrenha-se cada vez mais no caso logo que descobre que a esposa, Adriana, estava grávida.

Para desvendar os mistérios e ajudar Karves na apreensão dos malucos, Rita D'Alessio e seu amigo e também jornalista Ulrich Garcia envolvem-se em diversas aventuras, sangrentas e assustadoras, com muita ação e humor, em uma história contada com muitos detalhes, ironia e clareza. Cada personagem apresenta uma característica peculiar que os distingue entre si e explica a motivação particular para as atitudes dantescas que tomam, refletindo uma sociedade caótica, absurda e incompreensível.

Conseguirão os terroristas livrar os homens do domínio abusivo das mulheres, controlando ao mesmo tempo a natalidade e evitando o aumento da população para recriar a raça humana sob o domínio masculino?

Confira em formato físico e digital em: www.clubedeautores.com.br, e em formato digital em: www.livrariasaraiva.com.br.
 

 

Para ler e refletir

À procura de mim          Estou sempre me procurando para argumentar comigo mesmo, mas nunca me encontro. Estou sempre e...

Expandindo o pensamento