A única maneira para um cara como eu



A imensa vontade de lhe encontrar sozinha no jardim em noite de festa, vestida de gala, perfumada com o mais hipnótico pode de atração erótica e o mais belo sorriso da face da Terra, movimentou o meu corpo instantaneamente, como se eu fosse um robô desgovernado.
          Sem fazer a mínima ideia do que dizer, confiava plenamente no meu poder de sedução, da atração fundamental que incita os corpos e causa furor nas atitudes da paixão, que ignoram regras, ética, qualquer coisa que mente ao pudor e nos leve à prisão.
          Em relação a isso, caso ficássemos juntos eu não reclamaria, solicitaria a mais profunda masmorra inóspita, na qual dançaríamos nus à luz do luar que entrava pela minúscula janela gradeada, banhando de luz fria os nossos corpos suados e aquecidos. O calor que nos enlouquecia nos levava à cama de palhas sobre um chão de pedra para realizar o mais maravilhoso ato desde a criação humana, afeitos a qualquer conforto, amando pelo amor em si mesmo e mais nada.
          Cravando os dedos nas grades do imenso portão, do lado de fora olhando o belo e imenso jardim, observando à distância pelos camaradas armados sob o paletó preto que faziam com competência a segurança do local.
          Dali, nem de longe poderia vislumbrar a passagem da musa monumental que sustentava a razão da minha vida! Entrar sem convite, sem chance. E eu não tinha convite. Ela sequer me conhecia! Os sonhos são a melhor, a única maneira para um cara como eu.



Marcelo Gomes Melo



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento