“Batendo palmas para louco dançar”






          Estupidez e morte. Essa é a rota da degradação moral e espiritual. A mesquinharia é serventia da casa.
          De que adianta ousar vender uma imagem ao mundo, se essa imagem corresponde, não ao que você realmente é, mas ao que a demanda social ordena?
          Sentir-se excluído por não seguir as determinações da maioria lhe magoa a ponto de abandonar os próprios princípios?
          Ser democrático é curvar-se ao desejo da maioria sem deixar de defender os próprios pontos de vista; respeitar e se fazer respeitar sem usar de falsidade e boicotar ao que foi aprovado nas sombras, covardemente, sem nenhum escrúpulo.
          Buscar fazer parte do bolo de incautos que se deixam levar pela maré por medo de fazer as próprias escolhas é deprimente. A visão atual de viver em sociedade é clara: siga os dominantes, esconda os seus pontos de vista e aceite a promiscuidade, o trato aos idosos, adolescentes, crianças e demais minorias com condescendência e mantenha a cabeça baixa, sempre pronto para aplaudir a loucos dançando.
          A alternativa é badernar, mentir, destruir e sacanear em nome de um posicionamento tosco, mentiroso e cruel.
          Sim, é isso mesmo. Sair do caldeirão para cair na frigideira. A mediocridade está no poder!



Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

A vida é uma sequência de poemas costurados...         Todo dia eu componho uma canção diferente em meus pensamentos, com ve...

Expandindo o pensamento