Diminuindo a pressão de viver




            O meu cansaço no final do dia tem que ser justificado pelas  
 ações que tomei, pelas decisões que me esforcei para realizar assumindo todos os riscos em nome do coletivo, pensando individualmente apenas quando disser respeito à sobrevivência para continuar exercendo o comando enquanto me tocar.
          Ajustar o corpo à poltrona no final do dia, tomando a respiração profundamente com a tranquilidade de quem atuou conforme a ética que a sociedade exige, e utilizou a dureza implacável contra as injustiças sem pestanejar, como deveria ser regra e não exceção.
          Temer a hipocrisia estúpida e nociva que corrói a convivência humana é renunciar à luta para recuperar parâmetros de honestidade mais alto e erradicar a ideia vigente de que obter status através da aceitação e exaltação aos comportamentos egoístas, imorais e amorais que apodrecem a aldeia global, direcionadas por uma agenda obscura e assustadora por parte dos mais altos mandatários mundiais.
          O valor de poder descansar ao final de um dia repleto de problemas estruturais e sociais é imensurável, porque só a partir daí o pensamento se voltará aos problemas pessoais, com maior tranquilidade para analisa-los e força para não se deixar assombrar além do necessário.
          Isso é de um valor incontável, porque evita decisões precipitadas e confusão mental aterradora que torna a vida muito mais complicada. A pressão de viver diminui e os frutos são colhidos imediatamente com a aquisição de maior qualidade de vida.




Marcelo Gomes Melo

 

Para ler e refletir

Relato poético de um detetive de homicídios             Desmaiou ao ver aquela compilação de vidas extintas exposta no mesmo loca...

Expandindo o pensamento