Tinha certeza de que ela não gostava



Ela não gostava. Não gostava. Eu tinha certeza de que não gostava!
Ela me olhava com a cara de quem me julgava
Não sorria, me embaraçava.
Impassível, eu não retrucava.
E quando tínhamos que dividir o mesmo ambiente, eu relaxava
Apenas para ver o quanto ela hesitava.
Não muito bom, ela me achava
Eu sabia e me descuidava, dizendo coisas que a emburrava.
Ou sorrindo, cínico, quando ela gaguejava.
Mas se eu perdia a linha, ela exultava!
Aí sorria e me encantava.
E revoltado eu me enciumava.
Foi assim por tanto tempo que eu nem lembrava.
Ela não gostava, era o que eu achava
Mas todo mundo de nós zombava
E não sabíamos do que se tratava.
Até que um dia nossos olhares se cruzaram
Por mais tempo do que o necessário
Só então vi o quanto estava errado


E ela também, por não ter falado.
A partir daí nossa história mudou
E com ela o cenário
E até hoje...


Marcelo Gomes Melo


Para ler e refletir

Relato poético de um detetive de homicídios             Desmaiou ao ver aquela compilação de vidas extintas exposta no mesmo loca...

Expandindo o pensamento