Resíduos de pipoca no sofá da sala



Você sabe que está vinculado aos céus quando passa muito tempo sem ser vítima do WhatsApp no celular. Sente-se desde jovem atrelado ao perigo, sob o cobertor na sala de TV dos pais da sua garota doidinha, massacrando pipoca assistindo a Netflix, disfarçando cinicamente o que estava rolando bem ali embaixo do desfibrilador de sensações sensuais.

Nenhum olhar terreno demonstra tanta concentração, combina tesão e sorriso, a emoção dando em ondas na pedra, largando os dois molhados sobre a prancha do porto.

A respiração suave dispara e é esmagada como a um balão de festa dividido ao meio, as orações, nesse caso, te afastam ou aproximam do inferno?

Em terreno hostil, cercados de olhares por todos os lados como em um cinema, ainda assim sobrepõe-se ao que não é coragem, apenas necessidade física irracional, desejo perene visceral que atinge a quase todos os seres do universo... Todos, visto que o gelo derrete, a neve queima e o fogo muda a forma, mas não extingue.

Você sabe que está colado, na sala contígua ao inferno quando, suando profusamente ainda é vítima de um frio voraz; ninguém ao seu lado, ausência de medo, nenhum problema amoroso, inverno interno, olhar seco, pálido, pronto para sucumbir... Mas, se você for bom em alguma coisa, qualquer coisa, nunca faça de graça, já dizia o coringa.




Marcelo Gomes Melo
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento