São Paulo é assim...

          São Paulo é assim: solidão até aonde a vista alcança! Uma sinfonia de passos apressados e concentração estoica, ninada por ipods e iphones, sem tempo de pensar na vida. A vida é que tem que pensar na gente. E não pensa.

          Obstáculos a serem vencidos, das distâncias entre os pontos às dificuldades para acessá-las. Concreto cinza cercando almas coloridas circulando entre uma sinfonia de sons, que vão de orações a xingamentos, de sorrisos a sustos, de carinho a terror. E o céu por cima de tudo.

          Cada um parece uma ilha, fechados em seus mundos díspares, mas basta uma simples necessidade de um e logo se descobre a vocação intrínseca de ajudar, mesmo em tempos de desconfiança geral, fruto da impunidade e da propensão de muitos a fazer o errado.

          A garoa tão cantada anda escassa, mas a insônia eterna de cidade que nunca dorme faz jus à fama; por todos os cantos há luzes acesas e produtos à venda, bares e música num festival de sotaques. Metrópole cosmopolita se entendendo por gestos. A população é poesia em movimento.

          Todos reclamam e criticam, se desentendem e a ameaçam, mas ninguém a deixa. Ela acolhe e vicia. Para o bem e para o mal. Quem não a conhece acha feia, mas quando se perde por suas curvas percebe que não há retorno. Encanto puro por linhas tortas.

          Forte e bela a seu jeito. Resistente, gigante, rica e imperfeita. Imperfeita para o mundo, mas perfeita para nós.

 
                                    Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

A lenda do Bom Tejipió           Embaixo do pé de cajá ao anoitecer, com uma lança comprida de ponta fosca triangular, cort...

Expandindo o pensamento