O último tiro no abismo



       Correndo contra o tempo, as luzes explodem em seus olhos, cegando-o e aumentando o estresse; suando por todos os poros, o coração acelerado quase consegue encobrir o barulho ensurdecedor que o cerca perigosamente, mas você acelera o passo.

          O pensamento martela o seu cérebro como um mantra, entranhando-se em sua cabeça e enraizando-se pelos tendões do seu corpo, dominando a sua vida, mudando a sua realidade, alterando a percepção da vida inexoravelmente.

          Esse acontecimento velozmente mistura-se ao ambiente e as verdades mudam a olhos vistos. Nem você mesmo pode afirmar qualquer coisa sobre as suas convicções, porque a existência se torna maior do que você e determina como você deve ser e se comportar.

          O fim de sua corrida aproxima-se e a ansiedade toma conta de sua carcaça. Será que vai ser possível livrar-se do perigo de viver dominado, vítima das próprias expectativas?

          À beira do abismo você puxa o revólver e, após uma breve hesitação gasta a última bala em direção ao escuro infinito. De volta recebe o eco múltiplo, uma metralhadora de angústias em todas as direções.

          Cair ou libertar-se depende, única e exclusivamente de sua fé.

Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

Intolerante é a sua mãe, eu sou o mais humilde do universo!         Para lutar por suas bandeiras é preciso argumentar com co...

Expandindo o pensamento