Partículas mutantes de beleza



          - O que foi?
          - Nada.
          - Fala!
          - Nada... Nada demais.
          - Então conta, eu quero saber.
          - Não é nada que você já não o saiba.
          - Diz!
          - É que você é linda! – pausa – Você é muito linda! Já ouviu isso trilhões de vezes e de diversos tipos de pessoas. E meu estilo não é relatar o óbvio. – nova pausa, sem constrangimento; escolha de palavras – Eu sempre achei que você fosse linda, claro, não é novidade. Mas...
          - Mas...?
          - É que você não é apenas linda. – sorriso suave – Você é linda pra sempre! Linda todo dia. Algo comum, só que no seu caso é diferente. São partículas mutantes de beleza.
          - Partículas mutantes? – olhar curioso, nada de arrogância.
          - Sim. Sua beleza se reinventa a cada dia, a cada momento! Está sempre mais linda de uma maneira discreta e inexplicável. – pausa – Nada dentro dos padrões determinados pela mídia ou pelas redes sociais, fique tranquila. – sorriso jocoso – Não é para ficar mascarada, é apenas uma constatação. Inquietante. Difícil para alguém determinar.



         - Você faz um elogio desses parecer comum, e ao mesmo tempo a coisa mais importante do mundo!
          - Você o é.
          - Sou?!
          - Sim, e chega desse papo. Vai embora.
          - Posso agradecer?
          - Não, eu não sou o carteiro, a quem se agradece um simples elogio. Acostume-se.
          -isso foi... Lindo.
          - Hum.
          - Vou ficar pensando no que disse o tempo todo.
          - Na sua beleza essencial?! Isso seria, no mínimo soberba! – sorriso.
          - Não! – veemência – Na sua sensibilidade.
          - Não há sensibilidade alguma em respirar com dificuldade. E lutar para controlar os pensamentos.
          - Acho que sinto o mesmo.
          - Hum...
          - O que fazemos?
          - Nos separamos. Por agora. Temos trabalho a fazer.
          - E depois?
          - A vida segue o seu curso natural. É seguir as leis da atração.



          - Demora?
          - Séculos em segundos, ouvi dizer.
          - Melhor do que segundos em séculos.
          - Depois é pra sempre.



Marcelo Gomes Melo


Para ler e refletir

Relato poético de um detetive de homicídios             Desmaiou ao ver aquela compilação de vidas extintas exposta no mesmo loca...

Expandindo o pensamento