Todos os dias são quinta-feira



       Eu ia lhe dizer que deixasse para me beijar na quinta-feira, por volta das dezoito horas, quando eu sair do trabalho, já extremamente abalado pelo estresse, o cansaço visível pela falta de postura, os olhos opacos e os ombros curvados, porque assim o bálsamo dos seus lábios quentes reviveria em mim a beleza da vida, o calor dos dias benéficos e a felicidade de sua existência.

      Eu tencionava segurar a sua mão e, com voz apaixonada lhe pedir que me beijasse na quinta-feira, longamente, iniciando com leveza e ganhando tesão, exigência e furor, me arrancando da letargia de uma existência amortecida, sem paixão, inserindo a flor do prazer em meus ganhos pessoais, enriquecendo as reações biológicas do meu corpo, que te querem mais e mais.

     Realmente o meu desejo era lhe incitar a me beijar na quinta-feira, final de tarde, rolando comigo pelo tapete felpudo, entre sussurros e pedidos, atirando as roupas para todos os lados até alcançarmos o prêmio essencial de gozar ao mesmo tempo, sem temor ou dúvida, completo abandono da vida social em preferência à vida pessoal maravilhosa, na qual dois seres se encontram e desfrutam do ápice do prazer humano.

        Pois é, eu gostaria de lhe solicitar tudo isso, deslizando a minha mão por suas coxas, entre a seda do vestido e a maciez sensual e morna da pele. Beije-me na quinta-feira sem falta, e confirme que fomos feitos um para o outro, a despeito de todas as idas e vindas, dos percalços que o amor impõe, dos ferimentos impossíveis de evitar, apenas para testar o quão resiliente são os sentimentos que nos dominaram sem aviso prévio por anos e anos, incomensuravelmente.


        
       Só que, no meio do caminho, parei. Observei a sua expressão atenta e linda, aguardando com ansiedade o teor das minhas palavras, arfando visivelmente, atraindo todos os meus instintos. Parei e percebi que vivemos em tempos estranhos; que a vida nos prega peças o tempo todo, e que o amor não pode jamais esperar!

          A minha ingenuidade colocaria em risco a proximidade que temos! Para que deixar para depois o que pode incendiar nossas vidas hoje? Agora, nesse momento?
          Foi por isso que mergulhei em você, e sem nada dizer colei os meus lábios aos seus, gulosamente, tomando tudo o que me pertence e lhe presenteando com tudo o que é seu, que sou eu.
          Para os nossos beijos, meu amor, todos os dias são quinta-feira!



Marcelo Gomes Melo
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento