Jeito blasé




          Um dia desses eu te encontro, cara a cara, alma dentro de alma, frente a frente, bem rente... Te olho no fundo dos olhos, perscrutando os seus sonhos menos decentes, estrelas cadentes.
          Qualquer hora dessas te pego de jeito em uma esquina qualquer, mesmo que chova, e te olho fixamente a boca, desavergonhadamente desejoso mordo os próprios lábios; e é aí que começa o fim. O fim das indecisões, das angústias, das dúvidas!
          Um dia eu te enxergo de perto e te faço me ver. A poucos centímetros de distância e diminuindo, tão lentamente quanto os batimentos do meu magoado coração.
          Não coloque preço pela minha dor, que eu não pretendo abdicar de nada no que concerne a você, momento algum, movimento nenhum.
          Uma hora dessas te enfrento com o corpo, com o pensamento, com o gosto, te ganho, te venço na arte de saciar. Então te beijo com gula, te como com fúria, te amo com a certeza dos fanáticos e termino com esse jeito blasé de você me querer.



Marcelo Gomes Melo
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento