... Até a chegada do prazer!






        A mão resvalando entre as coxas da moça era o ponto clássico inicial do perigo. Ali naquele ambiente social civilizado repleto de sócios do clube, pessoas de bem, religiosas e pacatas. Hipócritas! Jamais admitirão os seus fetiches, nem os nocivos, nem os humanos.
          Deslizando rumo ao centro da Terra, a temperatura aumenta irrestrita, o coração tamborila e a respiração se altera. O olhar se esgazeia e o pensamento se atordoa, não há como evitar.
          É desafio o que se quer; desafio às regras vigentes, aos próprios limites. A moça de rosto corado não impõe limites, exige o máximo! Entrega-se ao máximo!
          A conexão com o infinito se torna possível, o prazer total se torna provável, e o caminho percorrido premia com pequenas surpresas que possibilitam o alcance do paraíso através de pequenas pílulas de delícias desconhecidas, adquiridas conjuntamente.
          A moça de olhar indecifrável instiga, provoca e assombra pela capacidade de verter gostosuras através de cada gesto. Ela é a paixão em si, a promessa permanente de sonho, a fonte que jamais seca.
          O encaixe perfeito transmite sensações inigualáveis, indescritíveis; delírio é o que se encontra, em camadas espessas e vibração poderosa, distribuindo-se em ondas desesperadoras, gemidos inomináveis até a chegada do prazer.


 

Marcelo Gomes Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu feedback é uma honra!

Para ler e refletir

Sair da vida cedo demais Quando ela afirma que ama, não sabe o que diz, apenas repete o que vê nas novelas às quais assiste...

Expandindo o pensamento