Uma alma a segundos do amanhecer



          Logo vai amanhecer. O dia finalmente irá surgir e você deverá apresentar as respostas. Todas elas. Todos os questionamentos que tomaram conta de sua vida obscura e abalroaram os seus recursos de sobrevivência eram os mesmos que o faziam caminhar durante a imensa noite de seu período de vida. Finalmente você se dará conta disso.
          Logo um raio de sol surgirá e os seus olhos se apertarão, cegados pela imensa luminosidade que tomará conta de tudo, lhe expondo cruelmente e impedindo que qualquer sombra permita a você suavizar a sua condição momentânea.
          Quais foram os questionamentos que lhe acompanharam até aqui, você se lembra? E as respostas obtidas, lhe satisfizeram? Mais ou menos? Nem um pouco? Ficou confuso com as inúmeras respostas para cada pergunta, e cada uma com uma leve razão de ser, dependendo do ângulo observado?
          Não se esqueça agora de que os seus pensamentos precisam estar afiados, você está sentando no topo do mundo, com os pés balançando à beira do precipício esperando o amanhecer. Feche os olhos, concentre todas as suas fichas em um dos sentidos com os quais foi presenteado durante a vida. Pense! O vazio em você equivale a todas as tentativas de preencher sua vida com conteúdo deformado, sem nenhum sumo que lhe insira consistência nem consciência?
          E nesse momento o que lhe resta fazer? Há algo a dizer que possa mudar o destino de suas partículas desprezíveis? O som de sua voz lhe abandonou e você percebe que manter os olhos fechados lhe nega a forma de expressão mais aterrorizante que gostaria de demonstrar? Não olha para trás, pois tudo é escuridão. Mas essa escuridão permeou a sua vida inteira e jamais percebeu?!



          Em segundos haverá luz. Sua última pergunta é se essa luz lhe servirá ou será engolido por um brilho voraz e impiedoso, completamente oposto do lodo negro no qual nadou desde que nasceu. Se sua vida valeu a pena, por que a coragem lhe abandonou justo nesse instante?
          Acalme-se e abra os olhos lentamente... O pior já passou. Enfrente os seus medos de uma vez por todas. Logo o amanhecer se apresentará. Veremos o que lhe aguarda do lado de lá da floresta.



Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

Relato poético de um detetive de homicídios             Desmaiou ao ver aquela compilação de vidas extintas exposta no mesmo loca...

Expandindo o pensamento