Intolerante é a sua mãe, eu sou o mais humilde do universo!




        Para lutar por suas bandeiras é preciso argumentar com coerência, certo? E para argumentar com coerência é necessário utilizar-se de um bom vocabulário, conhecer o significado das palavras que usa e aplica-las com inteligência, de acordo com o momento e com o debate.

         Como transformar essa necessidade em realidade, enriquecendo a discussão e evitando enganos no entendimento do que é dito, por causa da excelência dos argumentos? Simples. Aparentemente. Estudar mais!

      Todo mundo se arvora a opinar com paixão exacerbada, beirando a intolerância, criando situações que terminarão em violência por causa da incapacidade de se fazer entender, pelo preciosismo de achar que palavras difíceis, pouco conhecidas são mais bonitas embora pessimamente utilizadas...

       Quem acha que está “arrasando” no discurso e, por falta de vocabulário está exagerando na criação de neologismos, produzindo uma linguagem totalmente estranha ao linguajar culto, impossível de entender. Essas figuras folclóricas não se comunicam corretamente, apenas criam polêmicas e rusgas desnecessárias, utilizadas pela mídia em favor próprio para manipular massas e faturar ainda mais com o despreparo alheio.



          Vivemos esse tipo de momento em que a educação formal é deixada de lado, e quem não a possui acha que é capaz de formar opiniões, causando o caos na comunicação humana. As pessoas que procuram se expressar de maneira mais simples e objetiva costumam ser compreendidas melhor, e essa é a vantagem sobre a maioria de arrogantes que desconhecem a língua e tumultuam ainda mais o cenário já turbulento em que os incapazes moral e intelectualmente comandam o circo com ideias toscas que favorecem a corrupção.

            A ignorância é reversível, a burrice é eterna.




Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

Imperfeição              Eu posso dançar para você sob o toldo da calçada olhando a chuva que emoldura o luar, refletir em ...