No topo da carnificina. O beijo da morte!



          “Eu estou no topo da carnificina. Considero a astúcia como a minha qualidade mais afiada”, pensou o homem enfeitado com as roupas de marca mais cara do mundo, fumando o seu cigarro nojento com um meio sorriso grudado na cara sem vergonha.
          “Eu utilizo o gel para cabelo mais cheiroso do universo, um imã para as mulheres mais modernas e inventivas, cem por cento comprometidas com a estética, beleza e finanças (não necessariamente nessa ordem) como sinônimo de qualidade de vida; e qualidade de vida é sinônimo de euros na carteira importada e cartões de crédito internacionais sem limite”.
          Sentado em  torno de uma das mesinhas luxuosas do bar de um luxuoso hotel, o enfeitado fita a trabalhada xícara de porcelana com o cappuccino delicioso que tem o privilégio de saborear. Afrouxa a gravata de seda e sente o perfume marcante que usa com parcimônia. Está plenamente satisfeito consigo mesmo.
          Ao verificar o horário em seu relógio suíço forjado em ouro com ponteiros e números em diamante, a aliança no anelar esquerdo cega momentaneamente aos presentes com seu brilho generoso, um sol dentro de um local fechado. Não pode se dar ao luxo de esperar nem que fosse ao Papa. E sorri silenciosamente do próprio chiste, já que aquele fenômeno maravilhoso que agora serpenteava através do salão atraindo a todos os olhares masculinos invejosos, era o oposto do santo homem.
          “Eu acho que mereço esses mimos ocasionais, porque poderosos como eu são muito mais do que simples seres humanos; o poder nos transforma em entidades acima da lei. De qualquer lei, principalmente a lei do amor”.



          Ergue-se com elegância e beija a mão do monumento semi-coberto por um vestido colado com menos pano por metro quadrado a um preço exorbitante do que um abadá carnavalesco, mostrando mais do que insinuando.
          “Escolhi lindamente essa mulher incrível, com currículo, além de tudo”, pensa ele, os olhos brilhando, lúbricos. Ela era socialite, ex Big brother, profissional de eventos especiais em retiros espirituais de políticos e jogadores de futebol famosos, além de empreendedores ligados ao poder. Empenhada em tornar-se apresentadora de TV e atriz em um futuro próximo.
          “E tudo isso me pertence pelas próximas três horas! Que investimento sensacional e desestressante!”.
          Tudo armado, combinado e acertado, sobem para a suíte presidencial, recebidos com flores, champagne e bombons. A tarde que todo homem bem sucedido sonha, mas apenas alguns como ele estavam aptos a realizar.
          “Se me preocupo com a minha imagem pública e pessoal? Claro! Se acredito que serei pego no pulo do gato pela administradora de cartões? (mulher de pobre é que é dona da pensão) Não! Sou um profissional com a agenda escalonada, tudo muito bem amarrado para evitar surpresas. E a essa hora a esposa deve estar em frente à TV 4k de 100 polegadas assistindo ao jornal...”.



            Um indivíduo especial, despreocupado e milimetricamente feliz, imerso em sua tarde de prazer monumental regado a bebidas caras e chuva de notas de dinheiro sobre a cama. Vida de rei!
          A alegria e o prazer acrescentam doses cavalares de confiança, fazendo um homem flutuar nas nuvens dos seus domínios. Tanto que, arrogantemente decidiu acompanhar a beldade até o táxi, na calçada do luxuoso hotel. A moça, com a bolsinha prateada empanturrada de dinheiro sorria como um crocodilo saciado, segurando o cotovelo do homem e deixando-se guiar como a uma rainha.
          Antes de entrar no táxi, um longo beijo de despedida. O que o poderoso enfeitado não previra foi a equipe de jornalismo do outro lado da rua, fazendo uma reportagem ao vivo, usando a ele, à moça e ao táxi como pano de fundo. Ao vivo para todo o Brasil. O beijo da morte!



Marcelo Gomes Melo

Para ler e refletir

Relato poético de um detetive de homicídios             Desmaiou ao ver aquela compilação de vidas extintas exposta no mesmo loca...

Expandindo o pensamento