Um raio de sol na casa do lago


Por um raio de sol na casa do lago
Não mato nem morro;
Pois se matar carrego o meu corpo
Para esconder, e a minha alma a se atormentar.
Se morro levam o meu corpo para enterrar
E a minha alma ficará a se lamentar.

Por um raio de sol na casa do lago
Caminho léguas sem me apressar
Levo a imagem tatuada nas retinas
Por isso ando para não chegar.

O entardecer na casa do lago
É um sonho de toda vida
Que um homem carrega em si
Para aliviar a fadiga


Não é preciso chegar, apenas imaginar 
E imaginar é sentir um recarregar  
De forças 
Toda hora de dormir 
Garantia de esperança 
Na ruína que está por vir.  

   
Marcelo Gomes Melo  

Para ler e refletir

Relato poético de um detetive de homicídios             Desmaiou ao ver aquela compilação de vidas extintas exposta no mesmo loca...

Expandindo o pensamento